Governo da sociedade

Regras, Estrutura e Organização orientada para a criação de valor

Governo da Sociedade

As regras e a estrutura de governo do Banco BIC Português, S.A. foram definidas com o propósito de assegurar uma governação responsável orientada para a criação de valor.

Cumprir o disposto na Lei, nomeadamente no Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras (RGICSF), na Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros (DMIF) e no Código dos Valores Mobiliários (CVM), no que respeita aos deveres profissionais que incumbem às Instituições de Crédito e respetivos Colaboradores são os nossos desígnios.

Para além de cumprir as regras e deveres que decorrem das disposições legais e regulamentares aplicáveis, a atividade do Banco é prosseguida de acordo com o rigoroso cumprimento de princípios éticos e deontológicos.

Orgãos Sociais

Assembleia Geral
  • Jorge Brito Pereira (Presidente)

  • Alberto Teles (Vice-Presidente)

  • José Artur Neves (Secretário)

Conselho de Administração
  • Diogo Barrote (Presidente)

  • Fernando Teixeira dos Santos

  • Rui Pedras

  • Miguel Antunes

  • Manuel da Luz

  • Pedro Almeida e Silva

  • Bernardo Espírito Santo

  • José Araújo e Silva

  • Fernando Teles

  • Francisco Constantino Pinto

  • Duarte Pitta Ferraz

  • Pedro Azevedo Maia

  • José Azevedo Pereira

  • Vanessa Ferreira Loureiro

Comissão Executiva
  • Fernando Teixeira dos Santos (Presidente)

  • Rui Pedras

  • Miguel Antunes

  • Manuel da Luz

  • Pedro Almeida e Silva

  • Bernardo Espírito Santo

  • José Araújo e Silva

Conselho Fiscal
  • Susana Ribeiro (Presidente)

  • Ilídio Lopes (Vogal Efetivo)

  • Armando Paredes (Vogal Efetivo)

  • Carlos Corte-Real Pereira (Suplente)

Revisor Oficial de Contas
  • José António Barata (ROC n.º 1210)

  • Carlos Loureiro (ROC n.º 572)

Princípios de Bom Governo

No âmbito do controlo e gestão de riscos associados à sua atividade, o EuroBic tem vindo a desenvolver políticas e procedimentos específicos que visam uma avaliação, acompanhamento e controlo dos diferentes tipos de risco (de crédito, de mercado, de taxa de juro, de taxa de câmbio, de liquidez, de compliance, operacional, dos sistemas de informação, de estratégia e de reputação, bem como outros riscos que se possam revelar materiais). A função de gestão de riscos no EuroBic assenta nas seguintes cinco áreas principais:

i) Risco de Contraparte (Direção Financeira e Internacional);
ii) Risco de Crédito (Direção de Análise de Risco de Crédito);
iii) Risco de Mercado (Direção Financeira e Internacional);
iv) Risco Operacional (Direção de Controlo de Riscos);
v) Risco de Compliance (Direção de Compliance).

Cada uma destas áreas dispõe de uma estrutura organizativa própria que atende à natureza, dimensão e complexidade das atividades desenvolvidas pelo Banco e que desempenha as suas competências de forma objetiva e independente relativamente às restantes áreas funcionais.

Compliance

A Direção de Compliance tem como missão primordial a gestão de risco de Compliance no Banco. Nesse âmbito, é responsável pela elaboração da Política de Gestão do Risco de Compliance e sua atualização permanente, pretendendo assegurar-se a implementação e correta aplicação de leis, regulamentos, recomendações e diretrizes emanados dos Supervisores e outras Autoridades competentes, com impacto na Atividade do Banco, sendo também responsável pela concetualização e implementação da Política de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Financiamento do Terrorismo.

POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE COMPLIANCE

POLÍTICA DE PREVENÇÃO DO BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS E FINANCIAMENTO DO TERRORISMO